quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

A fé uni, a crença separa...

     Há diversos assuntos que geram debates e discussões frequentemente como o futebol, a política e o gosto musical, mas um assunto que tem maior probabilidade de gerar polêmica em grupos distintos é a religião. 
     Particularmente, não costumo falar ou debater o que penso sobre esse assunto com qualquer pessoa, pois logo cedo aprendi que as pessoas, normalmente, não respeitam e julgam mal opiniões que divergem da delas. Além disso, ainda há uma certa competição/disputa entre as diversas religiões e os seus seguidores ocasionando assim brigas, discussões, intolerância e preconceito.
    Hipocrisia tamanha uma religião pregar preconceito, né? Mas às vezes, isso acontece. Não estou generalizando, mas já vi ocorrendo sim. Minha avó, por exemplo, era espírita e eu presenciei, ainda pequena, muitas pessoas a condenando ao inferno por conta disso. Talvez esse tenha sido o principal motivo para hoje eu ser agnóstica. Falando nisso, conheci diversas pessoinhas durante a minha vida que se assustaram quando questionei seus pensamentos e seus dogmas, algumas se zangaram, apelaram,  rotularam-me no tempo de colegial como atéia sem nunca ter dito se era ou não. Outros não queriam nem ouvir e logo paravam de dirigir a palavra a minha pessoa, e alguns tentaram me converter com muitos argumentos. Logo aprendi a lançar uma questão no lugar de tantos e diversos argumentos, pedia com rapidez para me responderem de uma dúvida, caso conseguissem, eu me converteria e seria uma boa fiel, caso contrário, teriam que respeitar minha opinião já que eu estava a procura daquela crença que enfim, me apresentasse uma resolução satisfatória. A questão é simples, peço-lhe que no lugar de tentar me provar que sua crença é a correta,  prove-me que TODAS as outras que divergem da sua está errada. Até hoje, ninguém me converteu (666). No entanto, houve alguns, raros, que topavam debater com respeito sobre tais temas e assim, trocar conhecimento e opiniões sobre um assunto tão delicado sem nenhum momento alterar a voz conseguindo, inclusive, dar risadas sobre pensamentos bobos que passam na mente.
     Ah, como é fácil condenar os outros! Se você fizer isso, irá ocorrer aquilo! Não entendo o porquê a sociedade vê com bons olhos aqueles que são "bons", que não matam, não roubam, não se prostituem porque é pecado, não fazem nada disso por medo de passarem a eternidade no inferno. Poxa, como pode a sociedade admirar alguém que não mata porque a sua religião proíbe e condenar aquele que não possui religião achando que isso afetará seu caráter, que por isso, essa pessoa vai matar qualquer outro?? Novamente, não estou generalizando, mas digo que não concordo com esse pensamento de proibições, pecados, deveres, obrigações que em geral a maioria das crenças possui, seja através de costumes, livros sagrados, rituais ou outros.
     Não é de hoje que sabemos que há muitas pessoas que usam a religião como forma de manipulação em massa. Como existe fanático para tudo, há pessoinhas from hell que manipulam fiéis para arrancar dinheiro deles. Não se sinta ofendido, tudo que digo é baseado em uma vida de observações e pesquisas sobre tal. Se me permite, irei contar um fato que ocorreu comigo que ilustra perfeitamente esse meu pensamento. Há uns dois anos atrás eu fui na praça do DI, aqui no Distrito Federal com meu padrinho e meu irmão, lá encontramos um amigo da família que antes era político. Esse amigo da família estava caindo de bêbado, no local também estava sua filha de 17 anos, seu filho de 19 e o namorado do seu filho, todos os últimos citados estavam muito bêbados e a filha estava com sua filhinha de 2 aninhos em um berço na frente do bar. Do pouco que sei sobre esse pai de família, ele é um farrista que teve n mulheres e n³ de filhos espalhados pelo país. O que me indignou nesse dia foi a novidade que me contaram, esse amigo da família abriu uma igreja no quintal onde tornou-se pastor. Ele, ex-político que usava toda a grana com festas, agora era um pastor.  Sabendo disso, questionei-o sobre seus atos, sobre o que ele prega e como ele age e então, ele riu e zombou dizendo que religião era um negócio, você vende fé e esperança e recebe bem por isso. Exemplo perfeito de pessoas que manipulam outros usando a religião.
     Irei repetir antes que alguém se ofenda, eu não estou generalizando, porém, se você acredita que isso que eu contei não acontece, então, não sei em que mundo você vive!
     Ok, ok... Já falei demais sobre o que penso desse tema, o bastante para despertar raiva em alguns, por isso, irei parar com os argumentos por aqui. Retornando ao tema inicial do post, minha opinião é a dita no título: "A fé uni, a crença separa". Independente da minha crença ou ausência dela, eu reconheço que a fé é importante para a humanidade, que ajuda significativamente muitas pessoas e orientam outras. A fé acaba sim, unindo as pessoas desde sempre, porém, concordo que a religião, por sua vez, separa as mesmas! É só imaginar o porquê a crença dos gregos, entre outros povos estavam erradas e a sua certa? Por que os antigos que morriam/matavam pela sua religião estão todos condenados? Então, se não conseguiu responder as questões anteriores, tente analisar o porquê há tanta intolerância quanto as religiões no mundo. Como disse, não estou criticando sua fé, e sim, a religião.
     Não desejo com esse texto provocar raiva nem pousar de revoltada aqui. Tenho apenas o intuito de provocar dúvidas, questionamentos. Tenho o intuito de fazer-te pensar no porquê tudo que você acredita está certo e tudo que todos os outros acreditam está errado. Em algumas religiões a dúvida é ocasionada pela falta de fé e a falta de fé é punida severamente, por esse motivo, eu pouco questionava sobre os dogmas que lá eram pregados. Quero apenas que você não se amedronte, não permita ser alienado, que pense com sua própria cabeça e chegue a suas conclusões. Não se permita ser manipulado friamente como os frequentadores da igreja desse amigo da família foram. Questionar, filosofar, pensar sozinho é muito bom e caso você veja que está começando a pirar de tantas dúvidas, pesquise sobre tais. Há o google, há pessoas mais velhas, há a vida, há inúmeras fontes de conhecimento, aproveite-as sem moderação!


 A curiosidade é mais importante do que o conhecimento"
 Se as pessoas são boas só por temerem o castigo e almejarem uma recompensa,
então realmente somos um grupo muito desprezível”.

Ambas de autoria do Albert Einstein



5 comentários:

Henrique Rosendo disse...

Bom texto...

Bacana sua visão sobre o tema.

Tom disse...

Sim sim... defato a religião tornou-se hj uma instituição que, por ainda manter formatos medievais, gera altos índices de covardia e preconceito. A religiosidade, ou fé, é algo intríseco ao ser humano. Já a religião é uma tentativa de organização que mostrou-se falha, pois quem a desenvolveu também está aberto a falhas.

Concordo com sua visão.

Há muito tempo as religiões pregam o seguinte: "Fora da igreja não há salvação". Erro grotesco, pois suas fontes ideológicas nunca fizeram tal afirmação. Prefiro a frase, formulada por um pensador do século XVIII (procure no google se quiser saber quem é): "Fora da caridade não há salvação". Ela não exclui ninguém de se salvar, seja religioso, agnóstico ou ateu. Engraçado que uma das pessoas mais caridosas que conheço é um ateu!

Enfim,
adorei o post! ^^

Apaixonados disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Thai disse...

É, uma das pessoas mais cariodas que conheci foi minha avó e por culpa da sua religião muitos a condenaram em vida como se tivessem o direito de prever algo, como se fossem melhores que ela! Isso tudo é muito ridículo!

Enfim, fico feliz por vocês terem gostado! XD

Anônimo disse...

Religião.
Religião e algo muito interessante, porque interessante, porque é um comercio explicito, que se esconde por traz da fé e do fanatismo aflorado na mente dos seres humanos.
O continuísmo das religiões no nosso planeta se dá porque quando crianças nós somos direcionados para isso, sendo assim estes ensinamentos mesmo não tendo nenhuma prova de verdade permanece em nosso consciente e também no nosso subconsciente Com isso nos levando a seguir por toda a vida, algo imposto em nossa infância.
Tudo que é plantado germina e cresce, isso acontece no mundo vegetal. Em nós também acontece a mesma coisas, se for plantado na mente da criança que é um solo fértil, a crença religiosa naturalmente germinará e crescerá forte, mesmo não sendo uma coisa provada. Esta é a razão das religiões permanecerem sempre ativas no nosso planeta, não há nenhum mistério esta é a realidade.
Nota, religião não é de tudo ruim, tem seu lado bom, o problemas esta em ser um campo fértil para os aproveitadores de plantão, os quais usam a fé publica para montarem verdadeiros impérios de poder e dinheiro.
Paulo Luiz Mendonça

pauloluiz41@hotmail.com

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Clavedelua. Tecnologia do Blogger.