segunda-feira, 1 de agosto de 2011

O Feminismo

Tem uns dias atrás estava vendo um documentário (sim, eu passo meu tempo vendo documentários...) sobre o movimento feminista. Achei muito legal o programa, de forma que resolvi escrever sobre isto aqui. Mas para escrever tive que fazer algumas pesquisas sobre o tema e acabei achando isto aqui.
____________________________________________________________________
A MARCHA DAS VADIAS

Um grupo de cerca de 20 mulheres deu início, de forma tímida, à Marcha das Vadias, na tarde deste sábado na praia de Copacabana, na zona sul do Rio. O ato faz parte de um movimento mundial para denunciar a violência sexual contra mulheres. O grupo vai seguir até o Leme e depois retorna até a rua Hilário de Gouveia, onde funciona a Delegacia de Copacabana (12ª DP).
Com cartazes e faixas com frases de protesto, o grupo, formado em sua maioria por integrantes de entidades feministas, começou a marcha ao lado do posto 4 e ganhou a adesão de turistas e pedestres curiosos.
Uma das reivindicações é que o Estado do Rio tenha uma política específica de proteção a mulher, além da descriminalização do aborto. Segundo Nataraj Trinta, de 28 anos, o Rio não dispõe de uma boa rede de proteção para a população feminina vítima de violência sexual.
- Todos os dias, dez mulheres são estupradas no Estado do Rio e a maioria tem menos de 14 anos.
Nataraj explica que a Marcha das Vadias começou em Toronto, no Canadá, motivada pelos comentários de um policial durante uma palestra sobre violência sexual em que ele afirmou que, para evitar serem vítimas desse tipo de crime, as mulheres deveriam evitar se vestir "como vadias". Desde então, o ato já aconteceu em diversas cidades da Europa e do Brasil.
A expectativa é que o grupo se encontre com outro movimento, o dos bombeiros, que neste sábado fizeram um ato em Copacabana para agradecer  apoio da população e aos parlamentares que conseguiram a anistia civil e criminal aos 429 presos no episódio da ocupação do Quartel Central.



____________________________________________________________________
A primeira impressão que tive quando li o título foi de que não tinham escolhido um bom nome... depois de ler a reportagem toda é que entende-se a ironia.

Mas é preocupante saber que existem pessoas com um pensamento destes. Mesmo que seja um argumento que possa explicar, não é justificável. Enfim, o que quero destacar é que ainda há movimentos de cunho feminista...

O feminismo surgiu nas décadas finais do Século XIX e no início do século seguinte. Tinha, inicialmente, o proposta de defender o direito da mulher ao voto. Tempos depois outras ondas do mesmo movimento chegaram com a famosa idéia de dar direitos iguais, tanto trabalhistas quanto sociais, para homens e mulheres. Mas não venho falar de história, deixo isso para o Leandro, e sim sobre o que achei interessante no documentário.

A palavra feminismo foi cunhada numa época onde imperava o extremo machismo.Revelava-se um certo respeito pelo movimento, no entanto, o que se vê hoje é um certa repúdia pelo termo. Quem não escuta esta palavra e logo pensa em um monte de mulheres numa praça queimando seus sutiãs e reivindicando por direitos? Faça um teste, diga que você é feminista e, muito provavelmente, caso seja mulher, as pessoas vão olhar para você e pensarão imediatamente que você é uma pessoa radical, mal amada e, até mesmo, lésbica. A palavra que simbolizou um movimento de libertação (parcial) da mulher é, hoje, um sinônimo de extremismo feminimo anti tudo que e masculino e considerado como normal. Diz-se que feministas não se casam para não viverem sob o julgo do homem...

E é uma visão distorcida do fato. Há esta estigma sobre os movimentos feministas e sobre as mulheres com ânsia por melhores direitos. Gerou-se um pensamento generalizado sobre um arquétipo da feminista, fruto da luta assídua do passado, que não corresponde, pelo menos em sua totalidade, ao que se vive hoje.

A mulher conquistou um espaço importante e continuará a avançar no que diz respeito a adquirir melhores direitos de igualdade e a sociedade, incluindo as prórpias mulheres, devem parar de desvirtuar a imagem deste movimento com vislumbres de um época que já passou.

4 comentários:

Thai disse...

Poxa, não sabia que era por isso o nome da marcha. Vou contar para minha mãe. Ela achou ridículo essa marcha e eu tentei explicar os motivos delas, mas ela nem ouviu. Vou contar novamente. =D
Ótimo texto, amor. Beijos!

Amanda Lemos disse...

Tudo muito interessante por aqui,
Gostei muito mesmo.
E te convido para conhecer meu espaço, caso queira dar uma olhada, seguir..;

http://www.bolgdoano.blogspot.com/

Muito Obrigada, desde já.

Tom disse...

Thai,
Realmente o nome do protesto não faz o menor sentido sem o contexto =p

Beijos, meu anjo!

Tom disse...

Bem-vinda, Amanda! ^^

Obrigado por ter apreciado o nosso espaço.

Vou visitar o seu, sem dúvida!
Abraços

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Clavedelua. Tecnologia do Blogger.